Presépio recebe visitas e transmite a fé através das gerações

O Presépio da Igreja Matriz está montado desde o 1º Domingo do Advento e, vem em todas as missas e durante o dia recebendo a visita dos fiéis que passam para rezar, transmitindo a fé pela tradição da igreja desde os discípulos até nossos avós, pais, às gerações futuras.

O Papa Francisco publicou neste dia 1º de dezembro, data do primeiro domingo do Advento de 2019, uma nova Carta Apostólica intitulada Admirar Signum (“Sinal admirável”, em latim), a respeito do significado e do valor do presépio. No documento, ele exorta os fiéis a fazerem com que a tradição de montar o presépio no Natal continue e que seu valor seja redescoberto e revitalizado nos lugares onde tiver caído em desuso. A Carta Apostólica foi assinada pelo Papa, no Santuário Franciscano de Greccio, na Itália, lugar onde São Francisco de Assis criou a tradição do presépio no Natal de 1223.

“O presépio faz parte do suave e exigente processo de transmissão da fé. Ele manifesta a Ternura de Deus. A partir da infância e, depois, em cada idade da vida, ele nos educa para contemplarmos Jesus, sentirmos o amor de Deus por nós, sentirmos e acreditarmos que Deus está conosco e que nós estamos com Ele, todos filhos e irmãos, graças àquele Menino Filho de Deus e da Virgem Maria”, cita o Papa na publicação da carta.

O Papa acrescenta ainda que representar o acontecimento da Natividade de Jesus equivale a anunciar, com simplicidade e alegria, o mistério da Encarnação do Filho de Deus. De fato, o presépio é como um Evangelho vivo que transvaza das páginas da Sagrada Escritura. Ao mesmo tempo em que contemplamos a representação do Natal, somos convidados a nos colocar espiritualmente a caminho, atraídos pela humildade d’Aquele que Se fez homem a fim de Se encontrar com todo o homem. Aquele que nos ama tanto, Se uniu a nós para podermos, também nós, nos unirmos a Ele.

“Apoiar a tradição bonita das nossas famílias de prepararem o presépio nos dias que antecedem o Natal e também o costume de o montarem nos locais de trabalho, nas escolas, nos hospitais, nos estabelecimentos prisionais, nas praças…, cita o papa e ainda completa dizendo que “diante do presépio, a mente recorre de bom grado aos tempos em que se era criança e se aguardava, com impaciência, a hora de começar a montá-lo. Essas lembranças nos levam a sempre retomar a consciência do grande dom que nos foi dado de nos ser transmitida a fé; e ao mesmo tempo, nos fazem sentir o dever e a alegria de comunicar a mesma experiência aos filhos e netos. Não é importante a forma de como se monta o presépio, pode ser sempre igual ou modificada a cada ano. O que importa é que ele fale à nossa vida. O presépio narra o amor de Deus, o Deus que Se fez Menino para nos dizer o quanto está próximo de cada ser humano, independentemente da condição em que ele se encontre”, finaliza o papa em seu comentário.

Por Vânia Abdala

  • BannerMissasMatriz.jpg
  • capela.jpg
  • FaixaAdoração.jpg
  • site-pascom2020.jpg