LogoPSJ

Representantes de pastorais e movimentos participam formação sobre a Campanha da Fraternidade

No sábado, 29, no Salão Paroquial, o pároco Padre Alexandre José Gonçalves realizou uma formação com os representantes de pastorais e movimentos da Paróquia São José de Muzambinho, sobre a Campanha da Fraternidade 2020. Após a escolha do Tema e Lema da Campanha da Fraternidade 2020, pelo Conselho Pastoral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Fraternidade e vida “dom e compromisso” e Lema: “Viu, ouviu e sentiu compaixão e cuidou dele”, Lc 10, 33-34, a campanha chegou à Diocese e nas paróquias para ser desenvolvida pelos paroquianos.

Padre Alexandre iniciou a formação apresentando o cartaz e quais mensagens estavam neles contidas, onde Santa Dulce dos pobres foi a inspiração para a campanha.  A imagem mostra a vida que se desenvolve nas cidades e campos, bem como a importância da fraternidade (estender a mão ao próximo) e a população vulnerável que chama a vida em plenitude. Também outras características como a arte técnica em Mosaico, onde cada peça é de suma importância o que reflete na igreja,  onde cada um também tem um lugar próprio e uma vida de serviços. Ainda na imagem podemos visualizar o Pelourinho, berço da Irmã Dulce e o Brasil, lugar de culturas com uma igreja em saída que estende a mão ao próximo, população vulnerável e a rua, local de convívio.

Após a explicação da imagem escolhida para a Campanha foi passado o objetivo que,   a Luz da Palavra de Deus, toma o compromisso para o sentido da vida nossa, da comunidade e da sociedade em geral, bem como a casa comum, o Planeta Terra. Ele apresentou ainda os objetivos específicos que são apresentar Jesus como sentido da vida; propor compaixão, ternura e cuidado;  fortalecer a cultura do encontro com os excluídos ou abandonados; Promover e defender a vida desde a fecundação até seu fim natural (do aborto à Velhice); despertar os jovens para o compromisso e beleza da vida, dentre outros.

“Precisamos configurar nosso olhar com o olhar de Jesus, ter um olhar interessado e não apenas olhar com indiferença. Quando passarmos por alguém caído sejamos como o Bom Samaritano, que é a passagem do evangelho referência da campanha 2020. Sejamos uma Igreja Samaritana, que vai além das aparências e circunstâncias, uma igreja de pessoas onde se vive pela fé e se transforma pela comunhão. O olhar de Jesus não separa a justiça da caridade”, disse o Padre.
Na ocasião ele ainda apresentou vários exemplos de injustiças que também ameaçam a vida e,  devemos direcionar o nosso olhar como: Leis para a não vida (aborto, eutanásia), desemprego, doenças emocionais, suicídio, feminicídio, gravidez precoce, fake news, agrotóxicos, individualismo e tantos outros.

E, finalmente para resolver todas as questões propostas pela campanha, ele citou que é preciso ter disponibilidade em servir, tomar iniciativas que cuidem da vida, promover e divulgar aqueles que promovam a vida, procurar conhecer a vida da Irmã Dulce que traz lições de pequenos gestos que podemos fazer no dia a dia, bem como a vida de Santa Tereza de Calcutá, além de cuidar mais de nossas relações que devem iniciar em tratar bem o outro e não julgar.

Por Vânia Abdala