Realizado o II Retiro Diocesano de Espiritualidade da Pastoral da Criança da Diocese de Guaxupé

Realizado o II Retiro Diocesano de Espiritualidade da Pastoral da Criança em comemoração aos 30 anos de atividades da pastoral na Diocese de Guaxupé/MG

Todos os ramos da pastoral da Criança da Diocese de Guaxupé se reuniram no salão da Paróquia Nossa Senhora Aparecida, na cidade de Alfenas, no domingo, 08 de março, para um momento de espiritualidade, renovando assim, o nosso compromisso com esse trabalho pastoral, voluntário e pedindo sempre as bênçãos de Deus para continuarmos a realizar nosso trabalho à luz do Espírito Santo.

No início, fomos saudadas (os) pelo nosso coordenador diocesano Fernando Abreu juntamente com sua equipe de coordenação. Em seguida, passamos a reflexão do Evangelho de Lucas, Cap. 2, 25-37, muito bem conduzida pelo seminarista Gustavo que, atualmente está em estágio pastoral na paróquia São Sebastião da cidade de Juruaia – MG. Esse Evangelho vem no falar do maior mandamento da Lei de Deus, o mandamento do amor. Também nos traz a parábola do Bom Samaritano, a qual, também serviu de inspiração para a CF 2020, cujo lema é “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele”, sempre procurando aplicar esse Evangelho à realidade da Pastoral da Criança em nossa Diocese que, muitas vezes se depara com irmãos caídos e machucados à beira do caminho. Diante de esse ver, esse olhar há sempre uma vida humana em jogo, necessitada e vulnerável.

Refletimos também sobre a banalização da vida, especialmente por meio das redes sociais na internet.
“É a vida sendo agredida nas mais diversas formas, desde a fecundação até a morte natural”.

Em todo o Brasil, são 74 mil agentes voluntários da Pastoral da Criança atendendo a 800 mil crianças. (Dados de 2019).
Estiveram presentes os ramos de Muzambinho, Guaxupé, Monte Belo, Nova Resende, Alfenas, Serrania, Passos, Poços de Caldas, Bom Jesus, Cabo Verde, Alpinópolis e Areado. O encontro foi animado pela banda da Comunidade Mariana de Resgate.

Durante o retiro fomos incentivados a fazer uma meditação ou Lectio Divina com uma leitura orante da Palavra - Filipenses 2,1-11 e refletindo sobre questões como:
1 – O que o texto me diz?
2 – O que o texto me faz dizer?
3 – O que o texto me faz dizer a Deus?

Finalizamos o retiro com a leitura das histórias de vida de Santa Dulce dos Pobres e da Dra. Zilda Arns em comemoração ao dia da Mulher, celebrado nessa data. Duas grandes mulheres que nos deixaram bons exemplos de evangelização, amor e cuidado ao próximo.

Partilhamos experiências e participamos da celebração da Santa Missa, que foi o ápice do nosso encontro, presidida por Padre Alexandre, coordenador diocesano de pastoral e pároco da paróquia São José de Muzambinho e com a presença do Padre Éder, nosso assessor diocesano da Pastoral da Criança.

“O importante é fazer a caridade e não falar de caridade”. Compreender o trabalho em favor dos necessitados, como missão escolhida por Deus. ” (Santa Dulce dos Pobres)

Por Angela Rita Pereira de Paula